Arquivos Mensais

janeiro 2012

PELA JANELA, DO LADO DE FORA

Existem formas,
existem sonhos,
existem pessoas que mudam,
pessoas que circulam,
gestos que renovam,
existem perguntas e respostas,
existem um pouco mais e um pouco menos do mundo.

Pela janela,
observamos os sonhos.
Do lado de fora,
vivemos.

Um pouco mais e um pouco menos do mundo

Um pouco mais e um pouco menos do mundo

Uma curta distância,
porém uma das mais difíceis estradas.
Um passo curto repleto de cuidado,
um braço esticado cheio de receio.
Ou seja,
uma longa curta distância.
Um mar inteiro rumo a um pequeno rio.
Um céu inteiro para chegar até a ponta do arco-íris.
Um sonho, que pode representar toda uma vida.

Uma distância longa,
mas na verdade o caminho certo da felicidade, ou não?
Um passo curto para garantir um sonho inteiro de boas risadas,
um aperto de mão como gesto de segurança.
Ou seja,
Um pequeno rio, de águas limpídas e puras para nos banhar,
Umas poucas nuvens escuras, para ter um azul limpo e cheio de energia,
O verdadeiro sonho de vida.

Continue Lendo

Arquivos Mensais

janeiro 2012

NÃO IMPORTA

Será que tudo tem a sua devida importância,
ou a medida certa de sua influência em nossas vidas?
Será que importa mesmo tanto sofrimento,
ou se você vê a importância das minhas lágrimas?
Será que devo colocar em letras garrafais IMPORTANTE,
ou esta, devida importância, não tem nenhum valor para você?

Será que importa?

Será que importa?

Importa mesmo todo o meu esforço,
importa mesmo toda nossa dedicação?
Não impota!
Não importa se perdi meus dias e sonhos,
meu amanhã e minhas histórias.
Não importa mesmo,
pois não vejo e nem sinto as preocupações,
não sinto o valor deste meu tempo,
e nenhum cuidado com as dores e feridas.

As mágoas

As mágoas

Não importa se restaram mágoas,
ou torturas,
não importa se os meus dias se tornaram mais escuros,
as noites mais longas.
Realmente não sinto a importância acalentando meu peito,
ou acariciando meus sentimentos.
Porque para você nada disso importa,
apenas a certeza que você continuará sorrindo e caminhando,
sem suas dores e remorsos.

Continue Lendo

Arquivos Mensais

janeiro 2012

ACREDITAR, é ir um pouco mais longe.

Acreditar seria apenas ter 100% de certeza?
Ou devemos pensar que este é um caminho um pouco mais longo?
Se voltarmos um pouco o nosso próprio filme
veremos que “acreditar” é ter uma auto-confiança
muito mais forte em si mesmo e em seu mundo do que podemos imaginar.

Acreditar

Acreditar

Acreditar é sonhar
é ter sonhos transitando durante nossa existência.
É fazer acontecer,
e não parar na inércia dos pensamentos.
É se conhecer,
e saber diferenciar seus pontos fortes e fracos.
Acreditar é ter responsabilidades,
e ter que lutar por elas.
É confiar em si mesmo,
quando tudo se mostra mais difícil.
É se sentir capaz,
agindo sempre com franqueza e idealismo.
É criar suas próprias oportunidades
e vencer com elas e por elas.
É correr riscos,
e assumi-los quando necessário.

Continue Lendo

Arquivos Mensais

janeiro 2012

ÚLTIMOS DIAS

Este será seu último dia.
Forte emoção espalhada pelo peito, pelos olhos,
por uma vida inteira,
cresce como um surpresa fantasiada de emoções,
desejos ansiosos,
que em quantidade se triplicam.

Tudo se junta,
vira mistura desencontrada,
se afoga no muito quando o tempo é pouco.
Tudo se reduz.
se revisa,
se questiona,
e se pergunta:
“o quanto realmente você, isso ou aquilo me faz feliz?”

O que te faz feliz?

O que te faz feliz?

E nestes momentos percebemos,
o detalhe,
aquele sorriso,
aquelas poucas palavras,
ou o abraço apertado,
aquela noite admirando as estrelas,
ou o acordar admirando aquela manhã nascendo sob a energia do céu
e o cântico dos pássaros,
ou ainda o encontro inesperado,
mas possivelmente esperado, eterno e único.

Talvez o cansaço irá invadir seu tempo,
irá te fazer desmoronar,
ou até mesmo desistir de continuar,
ou apagar a luz daqueles que te cercam.

Continue Lendo

Arquivos Mensais

janeiro 2012

INVADIRAM MEU MUNDO

Me fizeram de fantoche,
me tacharam de astronauta,
rediscutiram minha existência,
despedaçaram meus sinais vitais,
brincaram de louco e perseguido,
me aprisionaram em minha verdade.
E ainda, sem perder tempo,
questionaram minha própria vontade.

Questionaram minha própria vontade

Questionaram minha própria vontade

Enfim, virei personagem de filme,
palavra no dicionário proibido,
erva venenosa,
e a estrada errada do caminho.
Arrancaram de mim, minha privacidade,
e meu tempo.

Virei questionamento,
desejando ser sonhos,
virei impureza,
desejando ser flores,
virei indesejável,
quando meu único desejo era ser respeitado.

Respeito

Respeito

Mas como assim?
Invadiram meu mundo e me bloquearam,
me rasgaram por dentro.

Continue Lendo

Jeff Wendell 2015 . Todos os direitos reservados.

Voltar ao topo