PERDÃO PARA NÓS!

Às vezes acho difícil de explicar
De tentar entender
De tentar encontrar
Encontrar uma saída
Encontrar uma palavra.

Mas acredite,
Que sempre estou tentando
Tentando imaginar,
Tentando te perdoar,
E acreditar que tudo poderia ter sido melhor.

Às vezes acho que também errei,
Às vezes sinto falta da sua voz,
Do seu olhar,
Da imensa vontade de te presentear com meus abraços,
Com meus braços,
Que sempre foram e ainda são seus.

Vamos!

Ajude-me a tentar entender,
A tentar acreditar,
A tentar sorrir pelo seu sorriso.
Porque neste momento não consigo.

Continue Lendo

ESTOU ENTRE VOCÊS…

Tantas e tantas são nossas sensações…

Muitas, um grande presente,
que nem você sabe que o possui.
isso, numa percepção emocional do que está entre nós.

Eu, você, poderia vislumbrar todo o céu azul,
e ainda assim não compreenderíamos o quanto temos em nossa volta.
Às vezes, precisamos ser balançados, para movermos nossos destinos
e assim perceber a surpresa dos encontros e desencontros.
talvez outra percepção da grandiosidade das coisas que estão entre nós.

Se você se questiona sempre,
se impõe dúvidas,
não fique triste, ou não olhe para trás.
Nada acaba com um simples sim ou não.
Pois quando se tem forças,
pode-se aprender mais com os sim e o não,
do que se esperava.
Esta com certeza é uma percepção sobre as conseqüências dos atos que estão entre nós.

Se lembre que somos os melhores
naquilo que acreditamos que podemos ser.
E entre nós, somos capazes de tudo ou nada, quando a escolha é pura e simplesmente nossa.

E se tentas comparar as situações, as pessoas, os sentimentos que te cerca
lembre-se:

Continue Lendo

QUEM ERROU?

As situações são diversas, os momentos são tão diferentes.
Acordamos e dormimos dia após dia com a certeza que tomamos decisões,
que nos comprometemos com os nossos atos,
e que ainda precisamos estar prontos para os próximos.

Dá para imaginar?
Ou será que dá para contar quantas e quantas vezes, neste amontoado de situações, se a sua palavra foi a última, ou a minha que soou mais alto?
Vamos, pare para pensar um pouco mais nestes momentos que já passaram,
ou pelo menos em algum deles que te marcou!
Talvez você perceba que a última palavra não foi a sua,
ou ainda vai perceber que a minha voz não foi a que esteve mais alta.

Já deu para imaginar um pouco, não é?
Calma, não precisamos nos desesperar, pois com certeza fomos capazes de repetir isso inúmeras vezes.
Ou seja, se preocupe com as conseqüências de todos estes momentos,
e em instantes perceberá que os problemas talvez nem existissem,
até aquele momento,
até o momento que sua decisão,
sua voz, seu olhar mudou o rumo,
a direção e o verdadeiro sentido daqueles instantes.

Continue Lendo

MEU MEDO, NOSSOS MEDOS

Eu posso falar um pouco sobre meu medo?

Posso te explicar, ou tentar dizer,
que não consigo respirar
e muitas vezes me mato aos poucos por dentro
sem saber como lidar com esta estranheza de um medo insensato.

O medo de enfrentar...

O medo de enfrentar…

Mas preciso falar em poucas palavras,
ou gritar através do silêncio,
ou ainda reescrever esta parte da minha história.
Isso, porque este medo que sinto não faz mais parte de mim,
e vem neste momento me sufocando de tal forma
que me cala e faz com que eu duvide de mim mesmo.

Será possível, ou necessário,
que seja arrancado aos poucos o meu sorriso,
o seu sorriso, nossa alegria e transformá-los em lembranças apenas,
para que um dia, ou num momento tarde demais possamos aprender
que estamos perdendo as coisas mais preciosas
por conta das migalhas da arrogância do ser humano,
e pelos medos que nos invadem por todos os lados,
criados pela intolerância e ignorância dos homens.

Será necessário que eu me perca,
para que este medo se ache e reine dentro de mim?

Continue Lendo

MAR DE LEMBRANÇAS

Imenso…
Leve, límpido e puro…

Mar de Lembranças

Mar de Lembranças

São as primeiras horas desta manhã de sexta-feira,
e em poucos instantes olhando e observando esta imensidão diante dos meus olhos,
percebi um lindo flash de fotos e vídeos passando ininterruptos.

Em tons de serpia, outros multi-coloridos,
alguns ainda em preto e branco.
Mas todos refletindo no azul do mar em seus instantes de torrentes e em suas calmarias,
o que eu já passei em meus dias, nos meus momentos,
entre os que amo e os que me odeiam,
no meio das minhas lutas intensas,
das minhas derrotas e vitórias,
entre os instantes mais preciosos,
que são os segundos de nossas vidas.

E por isso me questionei por tudo,
pelas dores, pelas tristezas,
pelas riquezas, pela falta de sensibilidade,
pelo racionalismo exagerado,
pela incoerência entre as decisões dos homens,
pelos sonhos distantes,
por que da existência dos que atrapalham e te sugam,
pelas aparências, maquiagens
e pela nudez da sinceridade.
Todas essas perguntas pelo simples fato,
de que em todo o flash proporcionado pela transparência deste azul eterno,
me vi arrodeado por estas situações.

Continue Lendo

Jeff Wendell 2015 . Todos os direitos reservados.

Voltar ao topo